quarta-feira, outubro 18, 2006

O final de 3 Scuts

O Governo vai introduzir portagens em três Scuts já em 2007, anunciou esta manhã o Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Mário Lino, explicando que em questão estão as auto-estradas em regime de portagem virtual do Norte Litoral (até Viana do Castelo), da Costa da Prata e do Grande Porto.

Por um lado, quando estou em viagem, gosto de ir pelas melhores estradas, da forma mais rápida e, de preferência, sem pagar.
Por outro lado, esta medida por parte do Governo parece-me acertada, uma vez que é como se fosse um tipo de imposto. Só que, ao contrários dos impostos, este só abrange quem realmente tirar partido das vias em causa, o que me parece justo.

Parece que a próxima vai ser a Scut do Algarve, mais conhecida como Via do Infante.

5 comentários:

Irritadinha disse...

Ai que os meus conterrâneos vão voltar a usar a 125 e abandonar a A22. Parece-me uma medida acertada, é fundamentalmente uma questão de bom senso.

Gisela disse...

D'acord! Aquila teoria que já tenho ouvido que o governo tinha prometido nas eleições não colocar portagens nas scuts é falaciosa, porque quem se lembra, quando o governo anunciava essa medida de não taxar as Scuts (o que causou polémica. é caso para dizer preso por ter cão...), Sócrates lembrou que apenas estariam isentas as estradas que não tivessem alternativas e que fossem importantes para diminuir o isolamento do interior através do investimento por parte de empresas. Ora estas estradas que o governo anunciou têm alterativas e encontram-se em zonas que não se podem dizer pobres.

Pedro Fonseca disse...

Isso é verdade, mas mesmo que não fosse não me importaria muito. Em campanha eleitoral, em Portugal, vale dizer tudo. Por isso eu nunca me fio no que eles dizem. É muito fácil falar que fazem isto ou aquilo, ou que não vão fazer isto e aquilo. Depois quando chegam lá é diferente. Sempre foi e sempre vai ser.

O que me interessa é que as medidas que eles tomam, depois de estarem no governo, sejam benéficas para o país. Agora se estão a ir de acordo ou contra ao que disseram em campanha... já não me interessa muito...

Joaquim Silva disse...

Isto é tudo muito bonito, mas para nós que utilizamos estas estradas todos os dias, bem que nos lixamos...

Calvin disse...

Meus caros,
Pois eu diria que nunca vi números que suportassem essas portagens. Não sou muito dado a coisas "de borla"...até porque elas não existem. No entanto, o momento de decidir isso é quando se decidiu avançar com a construção das estradas. Neste momento, o que vos garanto, é que a pressão para existirem portagens vêm das próprias concessionárias (believe me...I know what I'm saying...) pelo facto de terem de ser indemnizadas.
Quanto às promessas eleitorais, são feitas para quem vota, nem sempre para quem pensa...sad, but true.
E aqui me fico num post não inocentemente cheio de anglicismos:)