quinta-feira, agosto 02, 2007

Cinema: semana de 25/7 a 1/8

Esta semana fui ver "À Prova de Morte" e "Os Simpsons - O Filme".

"À Prova de Morte" é um thriller de Quentin Tarantino com Kurt Russell no principal papel.
Para Jungle Julia, Shanna e Arlene, a noite oferece uma oportunidade de libertação. Mas a poucos metros, olhando-as de forma pouco inocente a partir do seu carro, está Stuntman Mike (Russell). E é no seu Dodge Charger, modificado para suportar até as mais extremas colisões, que este psicopata gosta de terminar com a vida de belas raparigas que viajam a seu lado...
No início, o filme prometia muito. Com a marca nítida de Quentin Tarantino, a primeira parte do filme estava realmente muito boa. No entanto, depois o que realmente se viu foi a enorme falta de ideias para continuar o que parecia ser um dos melhores filmes de Tarantino. Para além disso, não achei piada nenhuma aos "cortes" durante o filme e a passagem momentânea de preto e branco para cores. Para quê? Agora estamos no século XXI e não vale a pena regredir na tecnologia utilizada ou pelo menos tentar mostrar uma certa antiguidade no filme, até porque neste filme não se justificava. O melhor do filme foi o magnifico desempenho dos actores, com destaque para o protagonista Kurt Russell. Em suma, eu não esperava muito deste filme, mas depois de um início tão bom esperava muito mais do que realmente depois foi.
Classificação: 14

"Os Simpsons - O Filme" é uma animação cómica adaptada da famosa série de televisão.
É preciso um ecrã gigante para capturar totalmente a estupidez de Homer Simpson e "Os Simpsons - O Filme" faz isso. No ansiado filme de animação baseado na série de TV de sucesso, Homer tem de salvar o mundo de uma catástrofe que ele próprio criou.
Era difícil adaptar a série para uma longa-metragem mas conseguiram. O filme está mesmo muito bom. Temas sempre actuais, como por exemplo o ambiente, relações pai filho conturbadas, a sempre presente critica política, entre outros. Humor inteligente sempre presente mas também humor mais acessível aos mais novos, como por exemplo grande parte do humor fisíco usado. Isto tudo misturado podia dar uma grande confusão, mas tem um argumento muito sólido sem nunca descurar todos os aspectos que referi anteriormente. Para já, é, sem dúvida alguma, o melhor filme de animação do ano.
Classificação: 16

Hoje estreiam 6 filmes:

  • "Golpe Quase Perfeito", uma comédia com Richard Gere no papel principal.
  • "Paranóia", um thriller com Carrie-Anne Moss.
  • "Dia de Surf", filme de animação.
  • "Jindabyne", um drama australiano.
  • "Van Wilder 2 - O Rei da Festa", uma comédia com Kal Penn no papel de protagonista.
  • "Vitus", um drama suiço.

Esta semana o destaque é dividido entre Richard Gere e a animação "Dia de Surf".

Bom cinema ;)

4 comentários:

Espinha disse...

http://havidaemmarkl.blogs.sapo.pt/203374.html

snake-charmer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
snake-charmer disse...

"...não achei piada nenhuma aos "cortes" durante o filme e a passagem momentânea de preto e branco para cores. Para quê? Agora estamos no século XXI e não vale a pena regredir na tecnologia utilizada ou pelo menos tentar mostrar uma certa antiguidade no filme, até porque neste filme não se justificava."
Dude, é de propósito. A ideia era mostrar tal e qual o que se via nos chamados "exploitation movies". Filmes de fraca qualidade em termos de imagem e som além de ter temas e histórias não muito usados no cinema comercial: violentos, simples, um pouco parvos que se resumem a duas palavras-entretenimento barato.
Esta é a homenagem do Tarantino a esses filmes. E já agora não sabes classificar nada além de 14,15 e 16? Para isso mais valia teres uma escala de 1 a 3. Tens ums de 0 a 20 que nem usas. Para ti o Quarteto leva mais classificação que o Death Proof? Grande cinéfilo, não hajam dúvidas...

Pedro Fonseca disse...

A ideia era mostrar tal e qual o que se via nos chamados "exploitation movies".
A ideia até podia ser essa, mas isso não significa que eu goste. Continuo a dizer que os antigos filmes já estão para trás e não vejo interesse em lá voltar.

cinema comercial: violentos, simples, um pouco parvos que se resumem a duas palavras-entretenimento barato.
Qual é o problema do entretenimento barato? Não é esse o objectivo dos filmes? Entreter o público? O Fantastic Four entreteve-me mais que o Death Proof. Nessa medida, dei mais pontuação ao Fantastic Four.
As minhas pontuações não são para pontuar a qualidade cinematográfica do filme mas sim de acordo com a satisfação, ou não, que eu tive com o filme.

Relativamente à minha escala... Realmente nunca dei pontuações abaixo dos 11 e acima dos 18. Talvez porque por trás está sempre um trabalho feito por pessoas que se esforçaram a fazer um filme que embora possa não entreter e não ter grande qualidade tem simplesmente trabalho de pessoas. E o trabalho tem que ser sempre valorizado... Além disso, um filme para chegar às salas de cinema nunca pode ser "miserável"...